Publicado por: sagustc | 07/01/2016

Corello Primitivo di Puglia IGT 2014

Corello Primitivo di Puglia IGT 2014

wp-1467373464673.jpeg

  • Origem: Puglia, Itália
  • Valor: R$ 42,00
  • GRADUAÇÃO ALCOÓLICA: 13%
  • UVAS: Primitivo
  • AMADURECIMENTO: Sem estágio em barricas de carvalho.
  • POTENCIAL DE GUARDA: 4 anos

# O que dizem sobre este vinho: Um vinho de estilo marcante, não só pela intensa coloração, mas principalmente pelos aromas que vão do tabaco às frutas vermelhas, e um paladar frutado e corpo entre leve e médio. A vinícola Castellani, em um excelente trabalho, conduziu esse exemplar a uma expressão equilibrada e rica, em que álcool, acidez e taninos se mesclam em harmonia.

# Dicas de Harmonização: Alcatra assada ao molho de especiarias, cane seca com abóbora, orecchiette alla pugliese, frango ao molho teriyaki, pizza de tomate seco e manjericão, queijos como minas padrão, prato, edam e gouda.

# Nossa avaliação: o ClubeW One anda deixando muito a desejar nos últimos meses. Tem vinhos nacionais por esta faixa de preço bem mais agradáveis. Coloração vermelha rubi intensa. No nariz  os 13% de álcool se destacam muito no conjunto aromático e mascaram a agradabilidade da bebida deixando a fruta relevada ao segundo plano. Morangos e cerejas aparecem com maior definição. Na boca também mostrou relativo desequilíbrio com álcool e acidez em evidência e um sabor que de Biotonico Fontoura que não combina em nada com as discretas notas frutadas do plano de fundo. Taninos bem marcados apesar do corpo relativamente leve.

# Nota: Bom – ( 1 ☆ 1 / 2 )  e nada mais.

Publicado por: sagustc | 06/30/2016

Miguel Torres Reserva Del Pueblo País 2014

Miguel Torres Reserva Del Pueblo País 2014

wp-1467284281763.jpeg

 

  • Origem: Valle de Curicó, Chile
  • Valor: R$ 57,00
  • GRADUAÇÃO ALCOÓLICA: 12%
  • UVAS: País (100%)
  • AMADURECIMENTO: Breve fermentação em barricas
  • POTENCIAL DE GUARDA: 5 anos

# O que dizem sobre este vinho: Com aroma de framboesa e cassis, este tinto refrescante e com taninos firmes, possui um toque rústico, muito característico da uva País. Miguel Torrres Reserva De Pueblo País 2014 resgata as tradições e a uva mais antiga do Chile, a País. Sua garrafa traz uma dupla homenagem: a roda representando o trabalho agrícola e a cor de cobre do rótulo e lacre, que faz menção ao minério que era extraído das terras chilenas.

# Dicas de Harmonização: Quiche de queijo, escalopes de mignon ao molho madeira com purê, penne ao basílico, galinhada, pizzas e queijos leves.

# Nossa avaliação: ja havia degustado um outro vinho elaborado com esta mesma casta e deste mesmo produtor (Miguel Torres) que tinha um caráter mais frutado na boca. No visual possui uma coloração vermelha rubi de intensidade mediana. Nariz de ataque moderado, onde os apenas 12% de álcool aparecem em evidência tornando o conjunto aromático relativamente desequilibrado. Na sequência aparecem aromas de frutas vermelhas maduras que lembram morangos, cerejas e framboesas. Na boca o álcool também se destaca deixando aquela sensação “aquecida” no paladar. Os taninos (finos) aparecem de forma bem marcada e a acidez (com toques oxidativos) deixam uma discreta sensação de efervescência na boca. Pena que os aromas frutados que aparecem no nariz não se refletem no paladar. Na boca parece mais um Biotonico Fontoura.

# Nota: Bom + ( 2 ☆ 1 / 2 )

Publicado por: sagustc | 06/29/2016

Espumante Miolo Terranova Blanc de Blancs Brut

Espumante Miolo Terranova Blanc de Blancs Brut


  • Valor em Dezembro de 2015: R$ 32,06
  • Uvas: Chenin Blanc, Sauvignon Blanc e Verdejo
  • Álcool: 12%
  • Região: Vale do São Francisco – BA
  • Método: Charmat

# Nossa avaliação: já havia tomado este espumante por várias vezes, mas nunca dado a merecida importância no que se refere avaliá-lo. Pois então valor lá… antes tarde do que nunca! O produto é um bom representante nacional e não decepciona. É leve, refrescante e certamente vai agradar a muita gente pelo perfil mais demi-sec (mesmo sendo classificado como Brut) do paladar. Sua coloração é de um amarelo palha bem clarinho, com reflexos esverdeados e um perlage abundante e festivo. Seusite aromas consistem numa profusão de frutadas tropicais e notas florais. Na boca é leve (como já havia mencionado), com uma acidez refrescante. O que incomoda um pouco é a exagerada percepção dos açúcares residuais para quem espera um espumante mais seco. Todavia, apesar dos pesares isso não chega a inferir a agradabilidade geral da bebida.

# Nota: 3☆

Publicado por: sagustc | 06/28/2016

Rastros do Pampa Merlot 2015

Rastros do Pampa Merlot 2015
wp-1467110132021.jpeg
 
  • ESTILO: Rastros do Pampa Merlot desperta os sentidos pela sua coloração vibrante e intensidade aromática. É o resultado da espetacular safra 2012 ocorrida na Campanha Gaúcha. Este rótulo ganhou Medalha de Ouro no 18° Concurso Internacional La Mujer Elige, em Mendoza, Argentina.
  • UVA: Merlot
  • SAFRA: 2012
  • GRADUAÇÃO ALCOÓLICA: 13,3%
  • Fermentação: Em tanques de aço inox com temperatura controlada.
  • Maceração: Teve maceração a frio durante 8 dias e após maceração normal durante 12 dias.
  • Barrica/Madeira: Teve passagem por três meses em barris de carvalho francês Allier.
# Dicas de Harmonização: Perfeito para acompanhar carnes vermelhas, massas, risotos e queijos.
# Nossa avaliação: dos vinhos tintos da Guatambu só não tomei – ainda – o Épico. Gostei mais do Pinot Noir (pra falar a verdade). Na sequência vem o Cabernet Sauvignon, seguido do Tannat, do Merlot (este que vos descrevo agora) e assim por diante (quem tiver interesse nas descrições todas estão aqui no Blogda Confraria do Sagu). Para quem está acostumado com os Merlot da Serra, saiba que este (da Campanha Gaúcha) não tem nada haver com seu primo irmão das altitudes. Sua coloração é linda e transita entorno de tons de um vermelho rubi bem vivo e intenso. O nariz tem um ataque moderado mas, muito agradável com notas furtadas bem definidas de cerejas e morangos maduros no primeiro plano e um toque herbáceo no plano de fundo que ganha intensidade na medida que vai aerando. Confesso que por não gostar deste tipo de aroma ele atalhou um pouco a agradabilidade da bebida. Os três meses de carvalho francês aparecem melhor nos aromas de boca com toques (discretos) de baunilha. Na boca os taninos são leves, discretos mas, macios e sedosos. A acidez é mediana e deixa bom espaço para a percepção dos açúcares residuais. Esses, associados aos aromas de baunilha acentuam a sensação de doçura no paladar. Quem não gosta deste tipo de percepção poderá torcer o nariz (eu gosto!) O final de boca é intenso e persistente nos sabores.

 

# Nota: 3☆

Older Posts »

Categorias